quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Universo 1.0

Somos seres incompletos e por isso sempre estamos evoluindo nossa opinião sobre as coisas. Pensar no que somos e o que é tudo isso onde vivemos, é um exercício bastante interessante e mantém minha a mente inquieta.

Nas minhas tentativas eu sempre tento pensar naquilo que me parece a mais certa dentre as outras que pensei até agora. É um método cartesiano, mas parece funcionar bem. Eu também vou tentar não seguir uma linha do tipo: primeiro surgiu o verbo...

Comecei tirando tudo que poderia ser material e todo conceito que pudesse levar a alguma dependência. Daí já matei o criador. Porque sempre que existe o criador, também existe o criador do criador, e assim por diante...

A primeira coisa que consegui isolar em todas que pensei, foi o Equilíbrio. É assim que começa o meu universo. Como o equilíbrio, inicialmente não depende de nada (não é bem assim), ele também pode se caracterizar como algo que sempre existiu, eterno e onipresente.

Depois, quero dizer, se não existia tempo não tem como existir o depois, mas de alguma forma, junto com o equilíbrio, surge o Movimento. O movimento é, ao mesmo tempo, a consequência e a causa do Equilíbrio. Eles fazem nascer o tempo, a energia e a matéria. O universo passa a ser uma batalha eterna entre o equilíbrio e o movimento. É, eu sei. É de dar nó no cérebro.

Com o surgimento do tempo, nasce o Pensamento e com ele todos os outros problemas...
Postar um comentário