sábado, 2 de julho de 2011

Google+

O novo serviço parece que vai acertar dessa vez. Depois de navegar um pouco e testar algumas funções, eu posso dizer que já gostei. Meu facetterkutcídio já está com a contagem regressiva ligada. Isso faz sentido pra mim depois que me apresentaram a Lei de Miller e o Número Mágico 7, que em resumo limita a quantidade de coisas que a nossa memória conseguer lidar por vez.

A navegação não é tão poluída quanto a do Orkut ou Facebook. A forma de compartilhar informações não é tão confusa quando o Wave e dessa vez não houve o "epic fail" de liberar geral que aconteceu com o Buzz. O Google aprendeu com as sua falhas e ainda inovou no aspecto de trazer as informações de forma bastante leve e clara.

Fica clara também a preocupação com a privacidade e isso faz sentido em um momento onde essa questão é tão polêmica quanto "mamilos!". A galera dessa geração "privacidade zero" está acostumada e obviamente não enxerga os riscos e o lado negativo dessa exposição massiva. E nesse sentido o Google+ está acertando por permitir que o usuário determine o nível de exposição. Isso não quer dizer que ele está protegendo as pessoas e sim que está dando mais oportunidade de controle.

Outra idéia também é popularizar o serviço +1 que já está integrado ao mecanismo de busca do Google. A briga com o Like do FB vai ser boa.

Entendi também que deverá haver integração dos serviços atuais como o Reader, Books e Docs, por exemplo, de forma a trazer as atividades comuns das pessoas para um local único. O serviço tem mais chance de eliminar o email do que a tentativa do FB. A estratégia de centralizar e facilitar a utilização dos serviços também vai de encontro a estratégia da empresa para vender os ChromeBooks.

O Mashable fez uma analise interessante do Google+ bem legal. Recomendo. +1 :O)
Postar um comentário